• Corre Brasil

Nutrição na prevenção e tratamento de lesões

Atualizado: 22 de Fev de 2019

Uma ótima nutrição é essencial para melhorar o rendimento

Apesar dos avanços nas técnicas de treinamento, materiais esportivos, conhecimentos sobre alimentação e suplementação, dados epidemiológicos referentes às diversas modalidades desportivas revelam uma elevada prevalência de lesões com perfis multifatoriais, influenciando o rendimento e desempenho desportivo. As lesões mais comuns são as musculares, ligamentares, tendinosas, e as esqueléticas ou ósseas. Associado a crescente competitividade e nível de desempenho exigido aos atletas, principalmente de elite, surge um “novo” tipo de lesão denominada de overuse, resultantes de micro lesões repetitivas no mesmo tecido ou estrutura, ao longo do tempo, sendo as mais comuns as fraturas por estresse, as tendinites e a osteoartrite. Uma ótima nutrição é essencial para melhorar o rendimento, freando os mecanismos de fadiga e prevenindo doenças e lesões decorrentes do treinamento.


Carboidratos: A depleção das reservas musculares de glicogênio leva à ocorrência da fadiga, que se associa a lesões musculares, assim os músculos tendem a perder força e capacidade contrátil, diminuindo a proteção articular. A manutenção da glicemia durante corridas longas se faz necessária pois o mau funcionamento do sistema nervoso central originado pelo insuficiente aporte de glicose, origina alterações do equilíbrio, da coordenação neuromuscular, da proprioceptividade, da concentração e da atenção, aumentando a predisposição às lesões.

Proteínas: As proteínas possuem função essencial na reparação, manutenção e síntese muscular e que, poderão ser fonte energética em exercícios de longa duração, isso quando as fontes de glicogênio no fígado diminuem, e começam a suprir glicogênio intramuscular para gerar ATP, assim podendo ocorrer as lesões musculares. Importa referir que a ingestão de proteína e carboidrato, torna mais eficiente a síntese proteica e a reposição do glicogénio muscular, atuando de forma sinérgica numa melhor recuperação.

Antioxidantes: O estresse oxidativo causa a diminuição das capacidades físicas e do rendimento, levando em situações mais graves à destruição de membranas e proteínas celulares, estruturas articulares entre outras lesões, decorrentes da peroxidação lipídica que ocorre nas células musculares.

Calcio e Vitamina D: O cálcio é um importante elemento para a realização da contração muscular, e também contribui na densidade óssea. Estudos demonstraram que a prática de exercício físico pode aumentar a massa óssea, isso associado com uma alimentação que contenha grandes quantidades de cálcio e produtos lácteos, pois a exclusão desses alimentos pode aumentar os riscos de fraturas. A Vitamina D tem importante papel no organismo, pois além da melhora da imunidade ela que faz a absorção do cálcio para a fixação nos ossos. Uma baixa taxa dessa vitamina pode dificultar a absorção de cálcio, podendo ocorrer riscos de lesões.


Uma quantidade equilibrada de nutrientes é essencial para a reparação de danos musculares, assim isso pode ser obtido com o auxílio de um nutricionista para ajustar de acordo com as necessidades de cada atleta, pois a composição de cada indivíduo depende de múltiplos fatores, como o sexo, a idade, a modalidade praticada, a posição em campo ou a especialidade de corredores, o nível de prestação desportiva. Assim, reajustando as necessidades energéticas e nutricionais, de forma a otimizar a recuperação e acelerar a reabilitação para que no regresso à prática desportiva do corredor. Por: Gustavo Melegassi - gustavomelegassi.com.br #nutrição #prevenção #vitamina #lesão #treinamento #treino #run #corrida

515 visualizações
Atendimento assessorias e atletas:  atendimento@correbrasil.com.br
Parcerias e novos projetos: projeto@correbrasil.com.br
REDES SOCIAIS:

 

  • Facebook ícone social
  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social

Todos os direitos reservados - CORRE BRASIL - © 2019